quarta-feira, 13 de março de 2013

Nostalgia


Um sentimento tão puro e ao mesmo tempo tão confuso.
Um vento mais frio e talvez até congelante,
Me ensinando o que realmente é verdadeiro e simples.
O que realmente importava não importou naquele momento
E agora cá estou sem justificativas adequadas para tal atrocidade mental.
Um tempo que não volta mais, mas que deixou ensinamentos e aprendizados,
Quero recomeçar a caminhar devagar e leve como antes, 
Sem pressa e com o pensamento focado.
Quero poder te ver novamente.